Temos uma Promoção Imperdível para você!

#

InibiMax | 8 Frascos InibiMax | 8 Frascos

InibiMax | 8 Frascos

Produto Natural

  • R$1.299,00

  • 10x de 129,90 sem juros
R$ 1.234,05 no boleto bancário
5 178



INSIRA O CEP PARA CALCULAR PRAZO E FRETE


    Descrição

    Inibimax


    Apresentação

    Cada caixa contém 4 frascos de 50 ml cada, totalizando 8 frascos.


    Recomendações de uso
    Administrar 10 gotas, duas vezes ao dia antes das principais refeições.
    Durante o uso do Inibimax, não é recomendado a ingestão de alimentos e bebidas que contenham cafeína.


    Ingredientes
    Magnésio (sulfato de magnésio), Vitamina B1 (cloridrato de tiamina), Zinco (sulfato de zinco), Água deionizada, Aroma idêntico ao natural de baunilha, Sucralose e conservadores (INS 210 e 211).


    Informação Nutricional

    Porção de 1.0ml (20 gotas), magnésio 260mg (100% VD*), tiamina 600mcg (50% VD*) e zinco 1.7mg (25%).
    Não contém quantidades significativas de valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, colesterol, fibra alimentar e sódio.

    (*) % Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. (**) Valor diário não especificado. Sem adição de açúcares.

    Não contém glúten.


    Cuidados de Conservação

    Conservar ao abrigo da luz, calor e umidade. Esta embalagem foi selada para sua proteção. Não utilize o produto em caso de violação.

    CONSUMIR ESTE PRODUTO CONFORME A RECOMENDAÇÃO DE INGESTÃO DIÁRIA CONSTANTE NA EMBALAGEM OU A CRITÉRIO MÉDICO OU NUTRICIONISTA.

    Produto dispensado de registro conforme a RDC 240/2018

    Produtos relacionados

    Dicas de saúde
    Remédio para alcoólatra. Primeiramente vamos falar sobre o alcoolismo que é um vício sério e que afeta gravemente a nossa sociedade independente da faixa etária. O que é o alcoolismo? O alcoolismo é um vício que afeta o indivíduo e o deixa dependente do consumo de bebidas alcoólicas. Abusar do álcool é diferente de alcoolismo, pois o alcoolismo causa vontade incontrolável de ingerir bebidas alcoólicas, perda do controle e dependência do álcool. Abusar do álcool nada mais é do que alguém beber mais do que consegue tolerar e assim ficar embriagado. Como reconhecer um alcoólatra? Os sintomas mais comuns entre os alcoólatras e não necessariamente ocorrem simultaneamente são: Descontrole do consumo: A pessoa não consegue parar de beber depois de começar; Alta tolerância ao álcool: Necessidade de beber cada vez mais doses para ficar bêbedo e continuar precisando beber cada vez mais; Compulsão: Vontade louca de consumir bebidas alcoólicas; Crises de Abstinência: Começa a passar mal quando fica sem beber, por exemplo, tem crises de ansiedade, tremores, dor de cabeça, etc. Esses são alguns dos sintomas mais comuns entre os alcoólatras. Por que parar de beber? Além dos transtornos que os alcoólatras causam aos seus amigos e familiares, os principais motivos para se parar de beber é porque o álcool realmente faz mal a própria pessoa e não tem nada pior do que fazer o mal a si mesmo. O álcool intoxica o corpo e quanto maior o nível de álcool no sangue pior levando a desencadear uma série de problemas como: Insanidade; Problemas na fala; Dificuldade de se concentrar; Problemas de memória; Falta da coordenação motora. E quanto pior o nível de alcoolismo da pessoa ela poderá sofrer de: Problemas Gastrointestinais; Problemas Neuromusculares; Cardiovasculares; Sexuais; Distúrbios mentais. Nenhum dos problemas causados pelo alcoolismo é leve, por isso, deve buscar sempre um tratamento sempre que possível. Pois essas são consequências irreversíveis. Tem como vencer o alcoolismo? Por mais difícil que seja o alcoolismo possui uma cura, porém ela não é fácil e depende muito da vontade do alcoólatra de se tratar, só que hoje em dia a diversos tipos de tratamentos para essa doença e pode-se escolher o método que mais se adéqua ao paciente. Quanto antes reconhecer o problema com o álcool mais fácil será tratar, então procure um médico e grupos de apoio que podem te orientar no que fazer. O alcoolismo é uma doença como qualquer outra e não se deve ter vergonha ou tratar como um problema, pois ninguém pede para ficar doente. Métodos de tratamento. O nível de tratamento irá variar do grau de vício do paciente. Então é importante que seja transparente sobre o problema e só assim terá um diagnóstico correto. Se estiver com receio de ir atrás de um médico ou não confia no SUS, busque por grupos de apoio como os Alcoólicos Anônimos, pois eles te darão todo o apoio que for possível. Os métodos de tratamento basicamente consistem em aconselhamentos, medicamentos, apoio psicológico, nutrição e exercícios físicos. Parar de beber só trará benefícios a saúde. Não deixe de buscar ajuda. Remédio para alcoólatra o que é? Conheça mais sobre os Antietanol ou remédio para alcoólatra. Para que serve? Como usar? Como funciona? Os principais Antietanol são compostos por Dissulfiram, Acamprosato, Magnésio, Vitamina B, Zinco e etc. Os remédios para alcoólatra geralmente é chamado de antietanol. Muito deles têm como principal objetivo fazer o alcoólatra criar uma aversão à bebida causando náusea, dores, palpitações entre outros sintomas ao ingerir a bebida alcoólica. Veja mais sobre os efeitos de algum desses elementos que compõe o antietanol. Dissulfiram: O dissulfiram piora ainda mais os sintomas da ressaca como causando vômitos, dor de cabeça, pressão baixa ou dificuldade, sempre que a pessoa consumir bebida alcoólica. Como usar: Recomenda-se tomar cerca de 500 mg ao dia, porém é preciso de aconselhamento médico para definir a dose. Quem não deve usar: Quem tem hipersensibilidade aos componentes, cirrose hepática com hipertensão portal e mulheres grávidas. Naltrexona: A naltrexona diminui a sensação de prazer provocada pela bebida. Fazendo que aos poucos a bebida fique sem graça. Como usar: A dose recomendada é cerca de 50 mg ao dia, mas é preciso um aconselhamento médico para instruir as doses corretamente. Quem não deve usar: Quem tem hipersensibilidade aos componentes, pessoas com doenças hepáticas e mulheres grávidas.· Acamprosato: O acamprosato alivia os sintomas da abstinência tornando o processo de parar de beber mais fácil. Como usar: A dose recomendada é cerca de 333 mg, 3 vezes ao dia, ou conforme as orientações dos médicos. Quem não deve usar: Quem tem hipersensibilidade aos componentes, pessoas com problemas graves no rim, Grávidas e lactantes. Outro componente que costuma aparecer nos remédios naturais para alcoólatras é a Vitamina B, pois é um nutriente natural para o nosso organismo que ajudará também no combate da abstinência. Os remédios sozinhos não são o suficiente para alcoólatra parar de beber. Tem que se ter paciência, força de vontade e disposição para mudar seus hábitos, por exemplo, começar uma alimentação saudável e algum tipo de exercício físico. Isso ajudará na melhora da autoestima e na diminuição da necessidade do álcool. Referências bibliográficas: 1 - Luciano Kurtz Jornada, Márcia Surdo Pereira, Patricia de Saibro, Ernani Luz Jr (Abril de 1999). «Acamprosato: uma nova droga no tratamento do alcoolismo». Psychiatry On-line Brazil. 4. Consultado em 11 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 29 de junho de 2008 2 - Luís André Castro e Carla Couzi (2006). «Uso potencial dos anticonvulsivantes no tratamento ambulatorial da dependência de álcool» (PDF). J Bras Psiquiatr. 55 (3): 212-217. Consultado em 11 de dezembro de 2007[ligação inativa] 3 - Baltieri, Danilo Antonio (25 de novembro de 2002). «Utilização do acamprosato no tratamento de dependentes de álcool». Universidade de São Paulo. Consultado em 11 de dezembro de 2007 4 - Thieme Chemistry (Hrsg.): Römpp Online. Version 3.1. Georg Thieme Verlag, Stuttgart 2007. (en) « Dissulfiram » em ChemIDplus 5 - Azrin NH, Sisson RW, Meyers RE, Godley M. Alcoholism treatment by disulfiram and community reinforcement therapy. J Behav Ther Exp Psychiatry 1982;13:105-12. 6 - Telessaúde Santa Catarina, 2014. Quais são as recomendações para uso de dissulfiram? http://aps.bvs.br/aps/quais-sao-as-recomendacoes-para-uso-de-dissulfiram/ CRFSP. Revista do Farmacêutico. n° 107. 7 - Bigby, M.; Stern, R. S. (março 1988). «Adverse reactions to isotretinoin. A report from the Adverse Drug Reaction Reporting System». Journal of the American Academy of Dermatology. 18 (3): 543–552. ISSN 0190-9622. PMID 3280622 P. R. Vade-mécum ABIMIP 2006/2007