Cálcio

Cálcio + D3 180 cápsulas

Cálcio + D3 180 cápsulas

Fortalecimento ósseo

R$499,00

em até 10x de 49,90 no cartão

Cálcio + D3 30 cápsulas

Cálcio + D3 30 cápsulas

Fortalecimento ósseo

R$119,90

em até 10x de 11,99 no cartão

Cálcio + D3 90 cápsulas

Cálcio + D3 90 cápsulas

Fortalecimento ósseo

R$297,00

em até 10x de 29,70 no cartão

Osteo Force Suprax +D

Osteo Force Suprax +D

R$34,90

em até 10x de 3,49 no cartão

Cálcio Force | 1 Unidade

Cálcio Force | 1 Unidade

R$129,00

R$119,00

em até 10x de 11,90 no cartão

Cálcio Force - 3 Meses

Cálcio Force - 3 Meses

R$399,00

R$357,00

em até 10x de 35,70 no cartão

Cálcio Force - 6 Meses

Cálcio Force - 6 Meses

R$599,00

R$549,00

em até 10x de 54,90 no cartão

Cálcio Force - 9 Meses

Cálcio Force - 9 Meses

R$799,00

R$749,00

em até 10x de 74,90 no cartão

Cálcio Force - 12 Meses

Cálcio Force - 12 Meses

R$899,00

R$849,00

em até 10x de 84,90 no cartão


Exibindo de 1 a 9 do total de 9 (1 páginas)

Dicas de Saúde

O que é cálcio?

O cálcio é um mineral essencial para o corpo humano, pode ser encontrado em diversos processos metabólicos, como por exemplo:

- Contração muscular;

- Coagulação sanguínea;

- Excitabilidade muscular;

- Transmissão dos impulsos nervosos;

- Ativação enzimática e secreção hormonal.

Exercendo duas funções fisiológicas essenciais, o cálcio consegue transmitir mensagens no interior das células e confere dureza e resistência à estrutura óssea. O cálcio se armazena na maior parte nos esqueletos em um reservatório que retira ou libera cálcio na circulação. Como sua eliminação pela urina, fezes e suor é inevitável, a ingestão de quantidades insuficientes por períodos prolongados pode afetar diversos processos biológicos.

O cálcio é um mineral abundante em nosso organismo, ele apresenta cerca de 1,5 a 2% do peso total do nosso corpo e se concentra cerca de 99% em nossos dentes. Cerca de 1% do cálcio ósseo pode ser mobilizado para eventuais necessidades metabólicas, especialmente em situações com maior demanda, como no período de crescimento, na gravidez, na lactação e nos estados carenciais.

Devem estar em equilíbrio o cálcio nos ossos e o cálcio no sangue, quando ocorre a regulação do cálcio plasmático ele é controlado por um complexo sistema fisiológico hormonal, que envolve o hormônio da glândula paratireóide (PTH), ou hormônios como o calcitriol (forma biologicamente ativa da vitamina D), e a calcitonina, agindo nos rins, ossos e intestino, diminuindo ou aumentando a entrada de cálcio no meio extracelular.

Em diversos estudos, conseguimos ver que conforme as pessoas envelhecem, elas precisam de mais cálcio, pois há uma eficiência menor na absorção do aparelho digestivo. As mulheres que já passaram pela menopausa têm uma perda progressiva de cálcio de 0,5% a 1% ao ano.

Benefícios do Cálcio

O Cálcio auxilia no desempenho de funções essenciais no nosso corpo e apresenta uma série de benefícios, entre eles podemos destacar:

- Dentes e Ossos: o cálcio exerce uma função importante no desenvolvimento e manutenção de ossos e dentes saudáveis. Sendo em algumas fases da vida o cálcio é ainda mais importante, tais como: infância, gestação e lactação.

- Contração muscular: o cálcio auxilia nos ciclos de contração e relaxamento muscular que regulam os batimentos cardíacos.

- Coagulação sanguínea: o cálcio por se tratar de um mineral essencial para o corpo ele atua diretamente na coagulação sanguínea.

- Funções enzimáticas: o cálcio é responsável por ativar enzimas responsáveis pelo processamento das gorduras e a metabolização das proteínas.

- Transmissão dos impulsos nervosos: o cálcio auxilia na regulação da transmissão dos impulsos nervosos.

Fatores que aumentam e diminuem a absorção do cálcio

Os fatores que aumentam a absorção são:  a gravidez, consumo de vitamina D, a ingestão de lactose, a ingestão de vitamina A, vitamina C, exercícios físicos, a ingestão moderada de gorduras, a ingestão de PTNs e AA (lisina, glicina).

Agora os fatores que diminuem a absorção do cálcio, sendo assim, maléficos para a nossa saúde são: a deficiência de vitamina D (no caso de doenças gastrointestinais), a hipocloridria, o estresse, a falta de exercício físico, a ingestão excessiva de fósforo (como exemplo o refrigerante), o envelhecimento e a menopausa.

Cálcio na gravidez

Antes de consumir suplementos ou adotar uma nova dieta, recomenda-se que procure um médico especialista ou um nutricionista para evitar quaisquer problemas. Mulheres grávidas tem uma maior facilidade na absorção de cálcio, por necessitarem cada vez mais de cálcio e vitaminas no geral. Principalmente após o segundo mês de gestação. Depois do nascimento, o cálcio continua sendo fundamental para o bebê e a melhor maneira de suplementá-lo é pelo aleitamento materno. Além de fornecer as defesas imunológicas necessárias nos primeiros meses de vida do bebê, o cálcio é responsável pelo fortalecimento e renovação óssea, garantindo sustentação e reservas fundamentais para o desenvolvimento.

Alimentos ricos em cálcio

Alguns dos principais alimentos ricos em cálcio são: o leite, queijo, espinafre, sardinha e brócolis, por exemplo. Pessoas com osteoporose, ou histórico de osteoporose na família, devem ter uma alimentação rica em cálcio, assim como crianças e mulheres na fase da menopausa, para prevenir problemas relacionados à alteração hormonal e à absorção do cálcio. Os alimentos ricos em cálcio devem ser consumidos diariamente para que todos os processos metabólicos ocorram de maneira adequada, veja alguns dos principais alimentos ricos em cálcio:

- Iogurte desnatado;

- Iogurte natural;

- Leite desnatado;

- Leite de cabra;

- Queijo de ricota;

- Queijo mozarela;

- Sardinha sem pele;

- Ostras.

Recomendação de cálcio diária

De acordo com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), é necessário que um adulto saudável consuma ao menos 1.000 mg ao dia de cálcio. Ou seja, boa parte da população brasileira que não possuem uma alimentação saudável rica em lácteos, vegetais da cor verde escura devem fazer uso de suplementos à base de cálcio para complementar sua dieta. Vale ressaltar que o valor pode variar de acordo com a idade da pessoa, seus hábitos e histórico de doenças na família