Polivitamínicos

Polivitamínico Feminino de A a Z 90 cápsulas

Polivitamínico Feminino de A a Z 90 cápsulas

Aumento da Imunidade

R$171,00

R$119,70

em até 10x de 11,97 no cartão

Polivitamínico Masculino de A a Z 180 cápsulas

Polivitamínico Masculino de A a Z 180 cápsulas

R$327,14

R$229,00

em até 10x de 22,90 no cartão

Polivitamínico Masculino de A a Z 270 cápsulas

Polivitamínico Masculino de A a Z 270 cápsulas

R$470,00

R$329,00

em até 10x de 32,90 no cartão

Polivitamínico Masculino de A a Z 30 cápsulas

Polivitamínico Masculino de A a Z 30 cápsulas

R$57,00

R$39,90

em até 10x de 3,99 no cartão

Polivitamínico Masculino de A a Z 360 cápsulas

Polivitamínico Masculino de A a Z 360 cápsulas

R$612,85

R$429,00

em até 10x de 42,90 no cartão

Polivitamínico Masculino de A a Z 90 cápsulas

Polivitamínico Masculino de A a Z 90 cápsulas

R$171,00

R$119,70

em até 10x de 11,97 no cartão

Profemina +E

Profemina +E

R$44,90

em até 10x de 4,49 no cartão

PrópoliVit

PrópoliVit

R$49,90

em até 10x de 4,99 no cartão

ProstatVit

ProstatVit

R$52,90

em até 10x de 5,29 no cartão

QPR Blend

QPR Blend

R$39,90

em até 10x de 3,99 no cartão

Sênior Vitam

Sênior Vitam

R$49,90

em até 10x de 4,99 no cartão

Vitta Gold

Vitta Gold

R$49,90

em até 10x de 4,99 no cartão


Exibindo de 17 a 28 do total de 28 (2 páginas)

Dicas de Saúde

O que são vitaminas?

As vitaminas são elementos essenciais para a vida e extremamente nutritivos. Possuem  compostos orgânicos nitrogenados em sua estrutura. O corpo humano não é capaz de sintetizar ou sintetiza em quantidades insatisfatórias para o seu bom funcionamento, e que caso venham a faltar no organismo, provocam carências que se manifestam.

O corpo humano pode requer vitaminas de diversas maneiras, como por meio da alimentação, por meio de suplementos contendo as mesmas, por administração exógena (injeção), ou então por aproveitamento das vitaminas formadas pela flora intestinal. A carência de vitaminas pode ser por sua falta parcial (hipovitaminose) ou total (avitaminose), e em ambas as situações, podem aparecer manifestações classificadas como doenças carenciais. Como já dito anteriormente as vitaminas são encontradas em pequenas doses nos alimentos, principalmente quando comparadas aos macros nutrientes (proteínas, lipídeos e carboidratos). Nenhum alimento, sozinho, conseguira oferecer todas as vitaminas necessárias, e isso exige uma dieta balanceada, ou uma suplementação vitamínica adequada, para um bom funcionamento do organismo.

E para quem tem dúvida, as vitaminas não fornecem energia (calorias), mas como estão envolvidas em diversos processos metabólicos são essenciais para o nosso vigor, vitalidade e energia diária.

Quais são os grupos das vitaminas?

Existem dois grupos de vitaminas, as lipossolúveis e a hidrossolúveis.

Lipossolúveis – Não solúveis em água, solúveis em lipídeos: absorvidas juntamente com as gorduras da alimentação.

Hidrossolúveis - Não são armazenadas no organismo em quantidades apreciáveis, são solúveis em água: excretadas pela urina em pequenas quantidades. Grande parte das vitaminas hidrossolúveis são constituintes necessários de coenzimas que apresentam papel importante em diversos processos metabólicos.

Agora vamos falar um pouco sobre algumas das principais vitaminas, para que você possa entender melhor os benefícios de cada uma delas. .

Vitamina A (retinol): vitamina fundamental para visão, para a saúde da pele, do sistema imunológico e proteção contra doenças degenerativas. Pode ser encontrada em queijos, manteiga, leite, gema de ovo, peixes gordurosos, vegetais e frutas amarelos.

Vitamina B1 (tiamina): promove o processamento da gordura, carboidrato e álcool. Sua deficiência causa uma doença conhecida como beribéri, onde os indivíduos não podem processar os carboidratos ou gorduras adequadamente, e desenvolvem variados sintomas, incluindo problemas neurológicos, cardíacos, dores nas articulações, inflamação nos nervos, falta de apetite e fraqueza. Presente em cereais, carnes, fígado, nozes, verduras e cerveja. O fermento natural possui doses grandes de vitamina B1.

Vitamina B2 (riboflavina): esta vitamina auxilia no processo de digestão das proteínas, carboidratos e gorduras, protege a pele e os olhos. Sua deficiência pode causar doenças de pele, dificuldade na digestão dos alimentos.  Suas principais fontes são carnes, ovos, leite e verduras.

Vitamina B6 (piridoxina): as bactérias do intestino produzem piridoxina e parte dela é absorvida através da parede intestinal. Participa no crescimento dos jovens. Sua deficiência causa problemas de pele como dermatite seborreica ao redor dos olhos, nariz e boca. Principais fontes são Verduras, frutas, cereais e carnes. O cozimento reduz os teores de B6 dos alimentos.

Vitamina B9 (ácido fólico): atua em conjunto com a vitamina B12 na transformação e síntese de proteínas. É necessária na formação dos glóbulos vermelhos, no crescimento dos tecidos e na formação do ácido desoxirribonucleico (DNA), que interfere na hereditariedade. O ácido fólico tem um papel na prevenção de doenças cardiovasculares. É essencial para o crescimento apropriado e bom funcionamento do sistema nervoso e nos núcleos ósseos, por este motivo, o cuidado com tal vitamina deve ser redobrado durante a gestação. Além de tudo esta vitamina é essencial para o crescimento de replicação celular. As principais fontes são carne vermelha e fígado.

Vitamina B12 (Cianocobalamina): vitamina importante na formação das hemácias (os glóbulos vermelhos do sangue). Essencial para o crescimento de replicação celular. Esta vitamina também é produzida pela flora do intestino grosso e absorvida no intestino delgado depois dela ter sido ativada no estômago, aonde chega com a ingestão de alimentos. Suas principais fontes são fígado e carne vermelha.  A vitamina B12 necessita do chamado “fator intrínseco”, existente nos estômagos normais, para serem absorvidas, por isso pessoas operadas do estômago (como por exemplo, cirurgia bariátrica), normalmente apresenta os sintomas de carência e necessitam de suplementação. Os vegetais não contem vitamina B12, os vegetarianos costumam apresentar deficiência da mesma, mas não é uma regra, por isso é necessário controle.

Vitamina C (ácido ascórbico): sua deficiência pode causar uma doença chama escorbuto, porem hoje, é uma doença praticamente desconhecida. Um dos sintomas visíveis de sua carência é nos cabelos, os fios lisos tornam-se crespos ou ásperos, além de lesões no colágeno. Ela aumenta a absorção de ferro pelo intestino, mantém o sistema imunológico fortalecido, sintetiza hormônios e neurotransmissores, produz colágeno na pele e outros tecidos. As principais fontes de Vitamina C: Frutas (laranja, limão, acerola, morango, entre outros) e verduras frescas.

Vitamina D (calciferol): a vitamina D na verdade, deve ser classificada como um hormônioque regula o cálcio nos ossos e sangue, com influências sobre a homeostase mineral do organismo. É extremamente necessária para a absorção de cálcio e fósforo no intestino delgado, distribuição para os ossos. Sua carência pode provocar raquitismo em crianças, e nos adultos osteomalacia (amolecimento dos ossos).  Pode levar a osteoporose em idosos. Sua principal fonte é o sol. Outras fontes são os peixes oleosos são principalmente o óleo de fígado de bacalhau, atum enlatado, salmão e sardinha. Também estão presentes na gema do ovo, cogumelos e o bife de fígado.

Vitamina E (tocoferol): além de atuar como antioxidante, além de auxiliar no tratamento de miopatias necrosantes, mas não é útil no tratamento da distrofia muscular. Sua carência provoca alterações neurológicas, como diminuição dos reflexos, da sensibilidade vibratória, e oftalmoplegia. Suas principais fontes naturais são os vegetais oleosos (milho e azeitonas), castanhas, abacate e sementes.

Vitamina K: possui três tipos, a K1 (fitomenadione), a K2 (menaquinonas) e a K3 (menadione). A vitamina K ajuda na prevenção de osteoporose, além de atuar na produção de protrombina, fator importante na coagulação do sangue. Suas principais fontes são ovos, verduras, queijo e fígado. Em adultos a vitamina K2 é formada no próprio intestino por ação de bactérias sobre o conteúdo intestinal. Nos recém-nascidos isso não acontece.